Como a CBF prejudicou o Botafogo com o adiamento do jogo contra o Fortaleza

0
113
Imagem: Divulgação/CBF

Líder isolado do Brasileirão, mas agora com sete pontos de vantagem para o surpreendente R.B. Bragantino, o Botafogo entra em fase crucial no esforço para manter a dianteira e, quem sabe, terminar um jejum de quase três décadas sem conquistar a principal competição do futebol nacional. O alvinegro carioca, porém, parece ter se habituado à má vontade da CBF, que com outros clubes parece bem mais “amigável” em suas decisões.

Um exemplo recente ocorreu esta semana com o adiamento do jogo que o líder faria contra o Fortaleza no Ceará pela 29ª rodada do campeonato. No último final de semana, com a queda da energia no Nilton Santos, o duelo entre Botafogo e Athletico (PR), que começou no sábado, só terminou no dia seguinte com a disputa de apenas um tempo. No placar final um empate sem graça por 1 x 1 e o Bragantino aproveitou, reduzindo de nove para sete pontos a desvantagem para os cariocas.

Nesta terça-feira o Glorioso enfrentaria um Fortaleza provavelmente bem desfalcado, pois a tendência seria o técnico do time cearense, Juan Pablo Vojvoda, era poupar vários atletas para a histórica final da Copa Sul-Americana contra a LDU, em Montevidéu. A diretoria do Botafogo pediu – quase implorou – que a data fosse mantida, mas a CBF não lhe deu ouvidos e o confronto deverá ocorrer em uma Data Fifa.

Ora, além de ter de duelar com a forte equipe cearense fora de casa e com o time completo, o Botafogo provavelmente terá atletas como o goleiro Lucas Perri e o zagueiro Adryelson convocados para a Seleção Brasileira, que disputará jogos pelas Eliminatórias da Copa de 2026. Isso sem falar na possibilidade de também perder Tiquinho Soares, artilheiro isolado do Brasileirão e cujo nome parece cada vez mais unânime como um nome que deve constar nas próximas convocações do técnico Tiquinho Soares.

Fica aqui uma pergunta à CBF: por que a entidade máxima do futebol brasileiro manteve preferiu ignorar o pedido botafoguense, mas tão prontamente atendeu ao do Flamengo, que bateu pé de “birrinha” querendo jogar no Maracanã contra o Bragantino um dia antes da final da Libertadores entre Fluminense e Boca Juniors ou o adiamento do confronto com o Massa Bruta? O compromisso rubro negro foi adiado e tudo foi resolvido. Dois pesos e duas medidas, aliás, mais uma vez?

Rasgar o próprio regulamento do campeonato duas vezes – numa delas impedindo público no segundo tempo do confronto entre Botafogo e Athletico – parece algo habitual em certos casos para a entidade que infelizmente insiste em manchar o esporte mais popular do País.