Mudança providencial

0
64
Yago Pikachu
Yago Pikachu (foto: Leonardo Moreira / Fortaleza)

Em março último, o Vasco liberou oito jogadores, pois estavam fora dos planos do clube. Entre eles, Yago Pikachu.

O Vasco, já há algum tempo, convive com uma crise administrativa e política que acabou contribuindo para o rebaixamento do time para a Série B do Campeonato Brasileiro.

A situação difícil por parte da administração, como sempre costuma acontecer, acaba atingindo os jogadores. Gera, entre outras coisas, uma instabilidade emocional, interferindo no desempenho do time.

Pikachu, lateral-direito – mas que também joga no meio-campo -embora seu desempenho tenha caído de produção, na verdade não deveria ter sido dispensado. Ocorreu uma precipitação. Durante uma crise, seja no futebol ou em qualquer outra profissão, não raro, ocorrem injustiças.

Jogador de bom nível técnico, veloz e de chute potente, foi para o Fortaleza, onde tem sido um dos destaques do time, dirigido pelo argentino Juan Pablo Vojvoda.

Logo na primeira rodada do Brasileirão, num jogo contra o Atlético Mineiro, Pikachu fez dois gols. Dois golaços, diga-se de passagem. Um deles, o segundo, fez lembrar o gol do saudoso Carlos Alberto Torres (1944-2016), que selou a goleada contra a Itália – 4 a 1 -, na final da Copa do Mundo do México. Brasil tricampeão. Um gol antológico. 

Caso consiga manter o nível atual das suas atuações, Pikachu tem tudo para figurar como um dos destaques do Brasileirão.

A mudança de clube foi benéfica. Motivado, voltou a jogar bem e tem provado o seu valor.