Botafogo conta com ‘goianos’ na estreia da Série B contra o Vila Nova

0
25
Marcelo Chamusca
Marcelo Chamusca (foto: Vitor Silva / Botafogo

Ainda sem apresentar um bom padrão de jogo e com o técnico Marcelo Chamusca já muito desgastado entre torcedores e parte da diretoria, o Botafogo estreia nesta sexta-feira contra o Vila Nova às 21h30, em Goiânia sem dar muitos motivos de confiança no logo caminho para voltar à elite do futebol brasileiro.

A equipe terminou em sexto no campeonato carioca, portanto de fora das semifinais do estadual, perdeu nos pênaltis para o Vasco o torneio de “consolação” que se tornou a Taça Rio e ainda foi eliminada logo nas etapas iniciais da Copa do Brasil pelo fraco ABC de Natal. 

Com tantos péssimos cartões de visita para a temporada de 2021 a já tão sofrida torcida botafoguense tenta se apegar às poucas esperanças de um bom desempenho no ano. Uma delas – ao menos para o jogo de abertura da Série B – é o conhecimento que o treinador e vários dos jogadores do elenco têm do adversário, atual vice-campeão goiano.

Chamusca dirigiu o Atlético (GO) por algumas temporadas. Além dele, alguns atletas tiveram passagem pelo futebol de Goiás. Entres estes estão, por exemplo, os laterais Kevin (Goiás), Jonathan (Atlético), Guilherme Santos (Atlético) e Rafael Carioca (Vila Nova), o zagueiro Gilvan (Atlético), o meia Matheus Frizzo (Atlético) e os atacantes Marcinho (Goiás) e Rafael Navarro (base do Dragão).

O Botafogo contratou recentemente alguns atletas como Chay (ex-Portuguesa do Rio de Janeiro) e Felipe Ferreira (emprestado pela Ferroviária), mas a torcida não sabe se tais jogadores já poderão estrear no confronto de sexta.

Como costuma acontecer com alguns técnicos, Marcelo Chamusca insiste teimosamente com alguns jogadores que já demonstraram em mais de uma oportunidade que nada têm a acrescentar ao Botafogo. 

Parece ser o caso de Marcinho, que só tem se mantido nas escalações por ter trabalhado junto com Chamusca em outras oportunidades. Por isso, os irritados botafoguenses já acusam o treinador de ter formado uma “panelinha” no elenco e deixado no banco peças que seriam muito mais úteis.

O alvinegro carioca ainda tenta a contratação de um centroavante e o nome que surge como o mais provável é o do veterano Rafael Moura, que refugou em três oportunidades a ida para o Glorioso e que não tem a simpatia da maior parte da torcida.