Náutico quebra um tabu de mais de 50 anos, vence o Sport numa final e conquista o Campeonato Pernambucano pela 23ª vez

0
33
Náutico

O Náutico lavou a alma neste domingo e depois de 53 anos derrotou o Sport em uma final do Campeonato Pernambucano e conquistou o estadual. O título, como não poderia ser diferente em se tratando do Timbu, veio depois de muito sofrimento e uma cobrança de pênaltis que terminou em confusão no Estádio dos Aflitos. 

Com o empate em 1 x 1 no primeiro duelo da decisão, Náutico e Sport entraram em campo com a obrigação de vencer para a ficar com a taça sem a necessidade de penalidades máximas. O Timbu dominou as ações durante quase todo o jogo, mas só conseguiu marcar com Kieza aos 33 minutos da etapa final. 

Muitos torcedores já estavam comemorando o título de número 23 na história do Náutico quando Mikael empatou para o Leão aos 42. Parecia que mais uma vez o Náutico “ficaria a ver navios” em uma final contra o Sport, mesmo jogando nos Aflitos.

A decisão então foi para as penalidades máximas e em dado momento o zagueiro Geovani perdeu uma das cobranças para o alvirrubro. A comemoração dos leoninos durou pouco, pois após consulta ao VAR ficou constatado que o goleiro do rubro negro tinha se adiantado para defender a cobrança. 

O juiz da partida mandou repetir e desta vez o jogador converteu o pênalti. Em seguida o Sport perdeu a sua e o artilheiro Kieza, que já havia marcado no tempo normal, assinalou sua cobrança e deu o título ao Timbu. 

Fim de papo? Do futebol sim, mas início do tumulto. Muito revoltados, jogadores e comissão técnica do Leão correram na direção do árbitro e foi o estopim para uma grande confusão em campo. Não adiantava mais nada, o Náutico foi campeão pela primeira vez em seu próprio estádio desde os 70.