Alemão Toni Kroos denuncia condições de trabalho de imigrantes no Catar

0
45
Toni Kroos
Toni Kroos (Reprodução vídeo)

O jogador alemão Toni Kroos disse nesta quarta-feira que as condições de trabalho em vigor no Catar, sede da próxima Copa do Mundo, que ocorrerá em 2022, são absolutamente inaceitáveis e que há riscos reais à segurança dos trabalhos envolvidos na construção de locais onde acontecerão jogos do evento no ano que vem.

  A maior parte dos trabalhadores a que Kroos se refere é compota por imigrantes que de fato têm atuado em condições que desrespeitam a própria condição humana, o que deixou o alemão profundamente indignado com a situação.

– As pessoas estão sendo submetidas a jornadas de trabalho extenuantes e debaixo de sol inclemente, com temperaturas de mais de 50º, o que é desumano. Além disso, não são alimentadas de maneira digna e nem têm acesso a água potável – denunciou o meia, que joga no Real Madrid.

Para o atleta, a escolha do Catar para sediar a próxima Copa do Mundo não foi boa e a Fifa deveria reconsiderar a decisão enquanto há tempo hábil. Kroos também criticou a falta de cuidados médicos adequados aos trabalhadores e a legislação duríssima contra homossexuais existente no país árabe.

No último mês de fevereiro um jornal inglês, o The Guardian, revelou que nada menos que g,5 mil trabalhadores imigrantes morreram no Catar desde a escolha do País para sediar a próxima Copa do Mundo, o que ocorreu em 2010.

Seleções como a Noruega e a Alemanha já protestaram em partidas pelas Eliminatórias da Copa, entrando em campo com as camisas com a inscrição “direitos humanos dentro e fora de campo”, em claro protesto contra a situação em vigor no Catar. Até o momento, porém, nem o governo do país árabe, nem o comitê organizador respondeu ás críticas á situação dos trabalhadores.