Flamengo terá de vender jogadores para sanar prejuízo na Libertadores

0
70
Flamengo

Além da eliminação precoce tanto da Copa Libertadores quanto da Copa do Brasil, o Flamengo provavelmente terá de negociar alguns de seus jogadores para lidar com R$ 47 milhões a menos na previsão orçamentária do clube carioca para 2020.

Atual campeão da própria Libertadores e do Campeonato Brasileiro – no qual ainda tem chances reais de título este ano – o rubro negro contava com a ida à final da Copa do Brasil e à semifinal da própria competição continental, mas acabou eliminado de ambas, respectivamente por São Paulo e Racing da Argentina. Um desempenho catastrófico para uma agremiação que tem um elenco milionário e custos altíssimos com os salários de seus atletas.

O Flamengo não tem mais premiações para receber em 2020 e depende apenas da classificação final que conseguirá no Campeonato Brasileiro, que terminará no dia 24 de fevereiro de 2021, por causa da pandemia de Covid-19.

Outro problema foi a queda no universo de sócios-torcedores. Em dezembro de 2019 o Flamengo bateu o número de 150 mil e após a eliminação na Libertadores o número caiu para 73.665, menos que a metade que no ano anterior, demonstrando a grande insatisfação da torcida rubro negra com o mau desempenho da equipe este ano.

O Flamengo terá agora de lidar com algumas renovações no elenco e as eliminações também poderão influir negativamente. Diego Alves está com o processo emperrado no setor financeiro há muito tempo. Pedro Rocha poderá ser negociado com o Spartak de Moscou. Ele tem um dos salários mais altos do grupo. 

Já em relação ao atacante Pedro, um dos destaques do time em 2020, o Flamengo terá de desembolsar 14 milhões de euros (R$ 88 milhões) até o dia 31 deste mês se quiser comprar o atleta em definitivo. Com a redução no orçamento a situação pode ficar complicada e o rubro negro corre o risco de perder o jogador.