Técnico da Dinamarca critica arbitragem de jogo contra a Inglaterra

0
63
Kasper Hjulmand
Kasper Hjulmand (Reprodução)

O técnico da Seleção da Dinamarca, Kasper Hjulmand, visivelmente abatido com a derrota para a Inglaterra na semifinal da Eurocopa por 2 x 1, criticou a arbitragem do confronto realizado na última quarta-feira em Londres, mas destacou que tem orgulho de seus jogadores, que deram tudo o que podiam para chegarem à decisão do torneio. 

– Muitas coisas estavam contra nós. O pênalti marcado foi muito duvidoso e estavam duas bolas em campo durante o jogo. Fizemos o que pudemos e foi realmente uma desilusão não chegarmos à grande final – comentou o treinador dinamarquês.

Hjulmand destacou que os atletas dinamarqueses deram orgulho á comissão técnica da seleção e ao próprio povo do país pelo esforço que realizaram em campo contra os ingleses, mesmo com torcida majoritariamente contrária no estádio de Wembley.

A Dinamarca não chegava a uma semifinal de Eurocopa desde 1992, quando acabou conquistando o título ao derrotar a Alemanha na decisão por 2 x 0. Na ocasião o torneio foi realizado na vizinha Suécia e os dinamarqueses tinham uma das melhores gerações de sua história no futebol.

A Uefa, órgão máximo do futebol europeu, decidiu investigar a Inglaterra por uso de laser durante a semifinal contra a Dinamarca. A torcida inglesa é acusada de desrespeitar o hino do adversário. Os torcedores também teriam utilizado fogos de artifício e sinalizadores, além do próprio laser no momento da cobrança do pênalti que decidiu a partida no primeiro tempo da prorrogação.

O caso teria ferido a ética da competição, o que pode inclusive gerar alguma punição ao país. Em relação à polêmica arbitragem, o técnico português José Mourinho, atualmente na Roma da Itália e que já atuou por anos no futebol inglês, disse que não considerou o pênalti legal, embora reconheça que os ingleses mereceram vencer.

Pela primeira vez a Inglaterra chega à final da Eurocopa, que decidirá contra a Itália, e seu último título importante foi justamente o da Copa do Mundo de 1966, quando conquistaram o título contra a Alemanha em uma final também polêmica em relação à arbitragem.