Presidente do Cruzeiro não garante permanência de Felipão

0
50
Sérgio Santos Rodrigues
Sérgio Santos Rodrigues (foto: Bruno Haddad / Cruzeiro)

O Cruzeiro ainda não terminou sua participação na Série B de 2020, mas não tem mais qualquer possibilidade de acesso ainda este ano e precisa de pelo menos mais uma vitória na competição para se livrar de vez do risco de rebaixamento. O clube já começa a planejar como será seu 2021 e entre as prioridades está a permanência do treinador Luiz Felipe Scolari pelo menos até 2022, quando termina seu contrato com a Raposa.

O presidente da Raposa, Sérgio Santos Rodrigues, negou que o técnico tenha pedido para sair do clube, como chegou a ser divulgado pela imprensa esportiva. Mesmo assim, o mandatário cruzeirense não assegura que Felipão continuará em Belo Horizonte.

Scolari chegou ao Cruzeiro para evitar um novo rebaixamento do clube e tentar levá-lo de volta à elite do futebol brasileiro. Em relação ao primeiro objetivo tudo parece confirmar que o time mineiro não cairá, porém o Cruzeiro se tornou o primeiro dos chamados grandes clubes do País a não voltar logo no ano seguinte após uma queda para a chamada segunda divisão.

O treinador sempre soube dos graves problemas financeiros do clube, mas espera que de alguma maneira a diretoria cumpra o combinado quando chegou à Toca da Raposa em outubro de 2020. Felipão espera no mínimo a formação de um elenco qualificado e que os vencimentos dos atletas estejam em dia.

O problema é que mesmo estas condições básicas não estão ainda sendo cumpridas pelos dirigentes, pois segue a severa crise financeira e a impossibilidade de contratações de maior peso para fortalecer o elenco comandado por Scolari. O presidente do clube lamenta, mas não crava a permanência de Felipão.

“Tivemos uma conversa muito produtiva, apenas nós dois. Certeza de que ele (Felipão) continuará eu não tenho. Mas comigo nesta conversa ele nunca afirmou que sairia caso os reforços não chegassem”, destacou Sérgio Santos Rodrigues.