Reforços para o setor ofensivo são prioridades do Cruzeiro em 2021

0
239
Cruzeiro

O ataque do Cruzeiro em 2020 foi uma decepção e rendeu muito menos que o esperado a um clube que disputava pela primeira vez a Série B do Brasileirão e lutava para subir logo para a elite, o que não aconteceu. Em 54 partidas na temporada a equipe mineira marcou apenas 62 vezes.

Na Série B o Cruzeiro balançou s redes dos adversários 39 vezes em 38 jogos, o que culminou com um modesto 11º lugar na competição, com 49 pontos, 12 a menos que o quarto colocado e último classificado para a principal divisão do futebol brasileiro, o Cuiabá. Na temporada passada a média de gols ficou em apenas 1.14.

Para corrigir o problema a prioridade para 2021 é contratar bons nomes para o setor ofensivo, que não custem tão caro, pois a Raposa ainda vive um período de crise financeiro que parece longe de ser superado. O técnico Felipe Conceição, que substitui Felipão, já indicou alguns nomes para a diretoria.

Entre os reforços quase certos estão o meia Marcinho que vem do Sampaio Corrêa (MG) e o atacante Felipe Augusto, que já teve uma passagem pelo América (MG). Marcinho fez oito gols nos 37 jogos que disputou na Série B, mais do que todos os atacantes cruzeirenses. Quem mais marcou com a camisa do time mineiro foi Rafael Sobis, com seis gols.

O Cruzeiro também tentará a contratação do atacante Morato e do meia Bruno Tubarão, com quem Felipe Conceição trabalhou no RB Bragantino e são atletas de muito potencial ofensivo. A diretoria da Raposa tentará a contratação dos dois por empréstimo até o final de 2021. 

Wellington Paulista, atualmente no Fortaleza, é outro nome que interessa muito ao Cruzeiro. Ele vive um bom momento no clube cearense e quando jogou no time mineiro entre 2009 e 2012 marcou 75 gols em 160 partidas. O jogador já tem 37 anos, mas tem muita identificação com a Raposa.