Marrocos, o ‘patinho feio’ que encanta o mundo do futebol

0
36
Foto: Fifa

No mundo das histórias infantis o conto “O Patinho Feio” é sem dúvida um dos mais conhecidos. A popular historinha infantil narra o drama de uma pequena ave que se sente deslocada num grupo de patos, até que se descobre, na verdade, como um lindo cisne. Algo que lembra um pouco o que tem ocorrido com uma seleção na Copa do Mundo do Catar deste ano.

Trata-se, é claro, de Marrocos, que ainda está invicta na competição e já conseguiu no mínimo um quarto lugar no mundial realizado no país do Oriente Médio. Os marroquinos levaram pela primeira vez uma seleção africana às semifinais após eliminarem a poderosa Espanha e, já nas quartas, Portugal do supercraque Cristiano Ronaldo.

O sucesso marroquino começa no banco, com o treinador Walid Regragui, de 47 anos. Nascido na França, mas também com cidadania de Marrocos, o técnico atuou como zagueiro em vários clubes, incluindo o Ajaccio e o Toulouse, da França, seleção que será sua adversária nas semifinais.

Regragui assumiu como técnico em agosto deste ano, substituindo o bósnio Vahid Halihodic e está invicto no comando de Marrocos. Desde que o franco-marroquino chegou à seleção venceu cinco partidas e empatou três, mostrando força e um esquema muito solidário.

O estilo de jogo do time que é a sensação da Copa do Catar é simples, mas eficiente e tem como estrelas Hakimi, Ziyech e Amrabat. O goleiro Bono e o ótimo cabeceador En-Nesyri, de 1.92m, referência no ataque e autor do gol que deu a vitória sobre Portugal, também se destacam. A equipe tem 14 dos 26 convocados nascidos em países da América ou da Europa e naturalizados marroquinos. O fato dá um perfil mis internacional e experiência a Marrocos.

Todos no grupo de Regragui sabem da dificuldade que terão na semifinal, quando enfrentarão nada mais, nada menos que a França, a atual campeã do mundo. Mas os atletas marroquinos sonham em escrever uma história ainda mais dourada e, é claro, com um final feliz. Quem agora pode duvidar do “patinho” que tanto brilha no Mundial do Catar?