Carille pede à diretoria do Santos para evitar debandada no elenco

0
294
Foto: Divulgação/Santos F.C.

O Santos disputará pela primeira vez em sua história a Série B em 2024. Para piorar, o Peixe atravessa uma severa crise financeira e, além da dificuldade para contratar, poderá perder atletas importantes do elenco a ser comandado por Fábio Carille, recém-apresentado pelo clube, na próxima temporada.

Já em sua apresentação Carille destacou a importância de manter uma base para trabalhar no próximo ano. A diretoria está tentando negociar reduções salariais para que possa dispor novamente de alguns atletas que o treinador considera imprescindíveis. Alguns dos jogadores têm ganhos muito altos para a realidade do Peixe, caso do venezuelano Tomás Rincón, capitão do time e que já aceitou o corte em seus vencimentos.

A diretoria do presidente eleito do Santos, Marcelo Teixeira, estipulou um teto de R$ 350 mil para os salários dos atletas. Justamente em um ano em que disputará a divisão de acesso o Peixe deverá passar por um período de austeridade nas contas em busca de recuperação financeira.

Alguns jogadores, entretanto, mesmo listados entre os melhores do elenco, deverão ser negociados devido à necessidade de caixa para a próxima temporada. Entre estes estão, por exemplo, Soteldo, que está na mira do Grêmio, e Jean Lucas, em negociação com outro clube gaúcho, o Internacional.

A nova diretoria tem alguns alvos para reforçar o grupo e iniciar a preparação para a temporada na qual a prioridade será, é claro, o retorno à elite. Alguns nomes cogitados são William Bigode, do Fluminense, Jorge do Palmeiras, Giuliano – ex-Corinthians – e Dalbert, ex-Internacional. As contratações, porém, deverão esbarrar no pouco dinheiro para investimentos. A janela de transferência, a primeira de 2024, será aberta no início de janeiro e a situação santista gera muita preocupação entre seus torcedores.