As cada vez mais sombrias perspectivas do Barcelona pós-Messi

0
17
Barcelona

A vida não está nada fácil para os torcedores do Barcelona depois que Lionel Messi, maior ídolo da gloriosa história do clube, deixou o Camp Nou e fechou um era de ouro para os culês. A equipe amarga a lanterna da Urfa Champions League e patina no Campeonato Espanhol, com poucas perspectivas de disputar em igualdade de condições o título da temporada com o arquirrival Real Madrid e o Atlético da capital.

O time catalão venceu somente um jogo dos seis últimos que disputou incluindo a Champions e La Liga. Na competição europeia perdeu os dois primeiros compromissos, com o Bayern de Munique em Barcelona e o Benfica, ambos pelo vexatório placar de 3 x 0. 

A fase é realmente das piores e o único triunfo do Barça nos últimos tempo foi sobre o fraco Levante, que está na zona de rebaixamento do Espanhol. O ex-clube de Messi está somente em nono lugar em La Liga, com 12 pontos, cinco a menos que o Real e o Atlético, que derrotou o Barça por 2 x 0 na última rodada, em partida realizada em Madrid.

Mais do que os já péssimos resultados em campo, os catalães temem uma grande debandada de jovens atletas que poderiam dar alguma esperança aos torcedores de reconstrução, mas que dificilmente deverão permanecer em Barcelona na próxima temporada.

Os contratos de Ansu Fati e Pedri, duas grandes promessas do Barcelona pós-Messi, terão seus contratos encerrados em junho de 2022 e deverão receber propostas de outros clubes europeus, mais exatamente do milionário futebol inglês. 

Assolado por uma severa crise financeira e com uma dívida de 1,35 bilhão de euros (cerca de R$ 8,4 bilhões no câmbio atual), o clube catalão só pode ter uma folha salarial de 97 milhões de euros (R$ 607 milhões) de teto. Para efeito de comparação, o teto do grande rival Real Madrid no momento é de 739 milhões de euros (R$ 4,6 bilhões). 

Com isto, dificilmente o Barcelona terá condições de segurar Ansu Fati e Pedri e o já bem enfraquecido elenco do clube catalão deverá ficar ainda mais esvaziado de grandes talentos. Resumindo: para quem durante décadas se acostumou a grandes conquistas e muitas estrelas no time, os torcedores devem se preparar para o fim do protagonismo no futebol europeu, o que poderá durar muito tempo.